Por trás da magia da Noelândia

Consolidada no calendário do Shopping da Bahia, a Noelândia vem crescendo e se tornou uma experiência única para toda criança que passa por seus portões. Mas todo esse encantamento é resultado de um grande esforço coletivo que começa ainda no papel, meses antes da terra do Papai Noel ser erguida no centro comercial.

Para falar um pouco sobre os bastidores da atração natalina, a gerente de marketing do Shopping da Bahia, Mayara Diniz, conversou com o Pequenópolis, revelando detalhes por trás do desafio que é oferecer uma experiência lúdica diferente e única aos inocentes olhos do seu público. Confira:

1 – Como surgiu a ideia da Noelândia?

Começou com uma provocação para tentarmos inovar no Natal. É a principal data do varejo de shopping e já tínhamos feito quase tudo. Começamos então a pesquisar o que poderia surpreender o nosso cliente. Chegamos então a pesquisas de mercado que apontavam para a tendência do marketing de experiência. Os clientes estavam cansados de prêmios e queriam ser surpreendidos com vivências memoráveis que só suas marcas preferidas poderiam oferecer. Fizemos um estudo de mercado e chegamos ao briefing que originou a Noelândia: criar um espaço que reunisse motricidade, ludicidade e tecnologia, focado na criança e oferecendo uma experiência única e inesquecível, dentro da temática do Natal.

2 – Quais são os principais desafios envolvidos na produção dessa atração de Natal?

O maior desafio sempre foi inovar num universo que já foi amplamente explorado e trabalhado por diversas marcas. O Natal é uma fonte inesgotável de sonhos e fantasias, além de ser o período mais importante para o comércio no país. Com a Noelândia, sentimos que conseguimos criar um storytelling novo e original. O próprio nome já é algo novo e que acabou virando uma marca própria, registrada e que deu ao projeto um status diferenciado. Outro desafio é o esforço logístico envolvido na montagem, que reúne mais de 100 profissionais diretamente envolvidos, além da equipe do Shopping da Bahia. Por fim, a concepção dos temas e da narrativa (que muda todos os anos) também traz um grande desafio a cada ano. A Noelândia é um teatro vivo, dinâmico e conseguir inserir novos elementos e novas histórias a cada ano é uma tarefa deliciosamente desafiadora.

3 – O que mais recompensa todo esse esforço?

Claro que como profissional de marketing, tenho objetivos claros e ligados a atração de público, geração de fluxo e resultados operacionais. Mas não posso negar que o maior retorno desse projeto é o encantamento das crianças. A Noelândia foi pensada como um projeto a longo prazo. A recompensa é saber que teremos uma geração de crianças que tiveram a sua infância marcada por um projeto pensado e executado por nós. Mas, claro, não posso deixar de mencionar o retorno que tivemos com a vitória no prêmio Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) em 2019. A Noelândia foi escolhida como melhor atração de Natal do país.

Além disso, temos nos esforçado para abranger o público da Noelândia, trabalhando em parceria com instituições sociais, como as Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), o Centro de Prevenção e Reabilitação da Pessoa com Deficiência (CEPRED), e as Mulheres Solidárias, dando a oportunidade para que crianças assistidas por estas entidades possam ter uma experiência dentro do nosso espaço natalino, oferecendo um momento mágico que elas guardam na memória com muito carinho.

4 – Todo ano, a Noelândia traz algum tipo de novidade em termos de experiência. Qual você destacaria este ano?

Com certeza eu acho que é o Fabricatório de Neve, conduzido pela NoiNoeisten. No espaço, as crianças participam de uma aula de ciência e “produzem a sua própria neve”. O encanto é geral! Destacaria também a aula de Embrulhobol. Mas, em 2019, a grande novidade é que a Noelândia ganhou vida fora do Shopping da Bahia, em duas iniciativas de marketing de conteúdo (branded content). A primeira é uma websérie em três capítulos que conta a saga dos Nói-Nois e do Papai Noel para salvar a estrela de Natal. E a segunda é o livro “O dia em que virei um Nói-Nói”, da autora Lulu Lima. Os dois produtos mostram a força da Noelândia e seu potencial como narrativa natalina.

Nenhum comentário até o momento

Sua opinião é importante para nós

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a comentar .


Warning: Illegal string offset 'rules' in /home/pequenop/public_html/wp-content/themes/pequenopolis-theme/functions/filters.php on line 191
<

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.