Fomos conferir: Eco Parque Sauípe

22 de fevereiro de 2015

A programação de verão do Eco Parque Sauípe acaba em 1º de março, então é preciso correr para aproveitar as últimas  semana pela frente. É apenas nesse período que o parque abre ao público em geral. Após essa data, volta o esquema normal de  funcionamento restrito, quando só recebe grupos escolares ou pré-agendados.

Se você sai de Salvador com as crianças, é estrada que não acaba mais pela frente, portanto vá com tempo para desfrutar das várias atividades oferecidas no parque, localizado no km 75 da Linha Verde, entre Imbassaí e Costa do Sauípe. A via que liga a Linha Verde ao parque é bem sinalizada, asfaltada e apesar de estreita está em boas condições. Ela termina em um curto trecho de terra dá direto na guarita e, em seguida, no estacionamento. É bom evitar os dias de chuva, que complicam tanto o acesso quanto as atividades ao ar livre.

Na chegada há uma recepção para pagamento da entrada e colocação das pulseirinhas (ver preços no serviço abaixo). Aproveite para levar a meninada aos banheiros, que são limpos e em boas condições de uso. Mas outros são oferecidos nas demais áreas.

Ao descer a ladeira que dá acesso ao parque e passar pela ponte da lagoa do jacaré do papo amarelo, há dois caminhos a seguir. O melhor é começar pelo lado que abriga os museus e a lanchonete (há placas sinalizando), pois no outro você levará mais tempo devido às atividades e também porque o restaurante para almoço fica lá.

Os dois museus são bem legais, e os pequenos se encantam sobretudo com o primeiro, o de História Natural, que reúne  380 animais taxidermizados (“empalhados”), de 180 espécies, em ambientes que ilustram os diversos ecossistemas brasileiros. A maioria fica atrás de vidros, mas há um lobo no meio do caminho que pode ser tocado, bem como alguns animais (aves e cobras) ao final, que ficam fora para permitir aos deficientes visuais poder senti-los. As crianças em geral também podem pegar.

Fotos: Pequenópolis

O outro museu é de achados arqueológicos, com mais de cem utensílios que reproduzem a história da ocupação humana no Litoral Norte da Bahia, com vestígios de tribos nômades que viveram há mais de três mil anos. Na área dos museus há uma lanchonete com mesas bem legais – hora da pausa para petiscar e ganhar energia para encarar atividades aeróbicas!

Elas são oferecidas ao longo do outro percurso, começando pelos pedalinhos e bóias a serem usados na lagoa. Na sequência encontramos a casa de farinha (onde é vendido beiju), e a Estação Ambiental Braskem, um grande espaço de aprendizado audiovisual e interativo sobre aplicações e ciclo do plástico, sustentabilidade e consumo consciente de energia e de água. Dá para aprender de montão, embora o calor seja grande.

Fotos: Pequenópolis

Ao lado fica o Viveiro Escola, onde os visitantes recebem informações sobre botânica, produção e plantio de mudas nativas da Mata Atlântica e conservação das florestas. Além de admiradas as mudas podem ser compradas por R$ 5 e levadas para casa.

No final do percurso ficam a tirolesa, a falsa baiana, as bicicletas e carrinhos de aluguel e a parede de escalada. As filas são grandes nos fins de semana, então o melhor é se instalar numa das mesas do restaurante ao ar livre e dali acompanhar a meninada nas atividades. O local também abriga um posto médico, para qualquer eventualidade. O parque tem também duas trilhas para passeio.

Fotos: Pequenópolis

SERVIÇO

Eco Parque Sauípe

Visitas: de quarta a domingo, das 10h às 16h, até 1º de março

Ingressos: R$ 20 adulto e R$ 10 criança (6 a 12 anos) e estudantes. Crianças de até cinco anos não pagam.

Atividades Eco Esportivas

Tirolesa – R$ 15

Parede de escalada – R$ 15

Falsa Baiana – R$ 10

Caiaques duplos – R$ 10 (período de 20 minutos, independente do número de pessoas)

Boias de pneu – R$ 5 (20 minutos)

Pacote Aventura Parque Sauípe (tirolesa + parede de escalada + Falsa Baiana) – R$ 35

Aluguel de bicicleta ou triciclo: R$ 20

Aluguel de carrinho para três: R$ 30

ATENÇÃO: para comprar as atrações com cartão é preciso fazer a operação na entrada do parque, pois lá dentro só pode-se pagar com dinheiro. A Falsa Baiana só aceita crianças que tenham altura para alcançar o cabo – eles não especificam idade nem altura em metragem, é na base do “olhômetro”.

SOBRE O ECO PARQUE

O Eco Parque Sauípe é uma reserva ambiental criada em 1998 com o objetivo de estimular a conservação dos ecossistemas e fomentar a educação ambiental no litoral norte da Bahia. O parque protege uma área de 66 hectares na região de transição entre os biomas da Mata Atlântica e da restinga. É gerido pela ONG Instituto Fábrica de Florestas (IFF), criada em 2005  e mantida pela Braskem, Cetrel e Comitê de Fomento Industrial de Camaçari (Cofic).

5 Comentários até o momento

Sua opinião é importante para nós
  1. Laura Leite
    #1 Laura Leite 17 janeiro, 2017, 12:01

    so para visitar quanto custa

    Reply this comment
    • Pequenópolis
      Pequenópolis Author 19 janeiro, 2017, 09:56

      Preço único de acesso é R$ 20 (crianças até cinco anos não pagam entrada, somente o seguro de R$ 5), Laura.

      Reply this comment


Warning: Illegal string offset 'rules' in /home/pequenop/public_html/wp-content/themes/pequenopolis-theme/functions/filters.php on line 191
<

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.