Caixa Cultural recebe O Menino que mordeu Picasso

Foto: Julieta Bacchin / Divulgação

De quinta a domingo (4 a 7 de junho) estará em cartaz na Caixa Cultural Salvador o espetáculo infantil O Menino que mordeu Picasso, com duas sessões diárias (14h e 17h), exceto no dia 5, com sessão única às 15h. Os ingressos custam R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia) e podem ser adquiridos no primeiro dia de espetáculo.

Foto: Julieta Bacchin / DivulgaçãoInspirada no livro homônimo de Antony Penrose, a montagem é dirigida por Marcelo Romagnoli e narra o encontro de Pablo Picasso (1881-1973) com uma criança que frequenta o ateliê do artista e acompanha seu jeito de pintar. Em alguns momentos o menino é o próprio artista quando jovem. A essência da peça pode ser resumida com a citação do próprio Picasso, que disse: “Passei a vida tentando aprender a pintar como uma criança”.

O ponto de partida é o momento em que Antony, um garoto de seis anos, morde Pablo Picasso e esse, irreverentemente, resolve mordê-lo de volta, abrindo margem a uma descontraída dinâmica onde se permite brincar, inventar e criar, interagindo com o universo lúdico da criança e explorando as várias possibilidades desse encontro.

O espetáculo já foi premiado com o troféu APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) e o Coca-Cola Femsa 2012 (Fomento Econômico Mexicano), na categoria de melhor ator para Fábio Espósito, integrante do elenco.

Foto: Julieta Bacchin / DivulgaçãoServiço

O Menino que Mordeu Picasso
Quando: dias 4, 5, 6 e 7 de junho de 2015 (quinta-feira a domingo)
Horários: Nos dias 4, 6 e  7 de junho: 1ª sessão às 14h e 2ª sessão às 17h; dia 5 de junho sessão única às 15h
Onde: Caixa Cultural Salvador – Rua Carlos Gomes, 57, Centro
Ingressos: R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia), vendidos a partir das 9h do dia 4 de junho, para todas as sessões.
Informações: (71) 3421-4200
Classificação indicativa: livre para todas as idades
Conveniência: Estacionamento gratuito ao lado
Duração: 50 minutos

SOBRE O LIVRO

Pablo Picasso levou uma mordida do garoto Tony, numa das visitas que fez à fazenda de seus pais, em Sussex, Inglaterra. Picasso revidou e mordeu o garoto de volta. Esta e outras histórias são contadas por Antony Penrose, nas memórias de uma amizade que ele teve quando criança com o grande artista.

O menino viu Picasso esculpir com restos de objetos e pintar retratos de sua mãe, ouviu ele falar de seus filhos e dos quadros que pintou deles, e ganhou presentes do próprio, como uma pequena escultura em madeira e um desenho. As narrativas são ilustradas pelos registros da mãe do garoto em momentos íntimos da convivência de sua família com o artista.

O enredo do livro é repleto de referências à Espanha e à obra do pintor, deixando a dúvida se a criança com quem Pablo Picasso se encontra é uma própria versão mirim do pintor.

3 Comentários até o momento

Sua opinião é importante para nós
  1. josé vicente de souza maques
    #1 josé vicente de souza maques 7 novembro, 2016, 23:19

    Viabilizar ma forma de atingir um maior número de crianças da periferia do Rio.

    Reply this comment

<

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.