Saber escolher – Por Marconi Araponga

marconicortadaMe chamo Marconi Araponga, sou ator, professor, diretor de teatro e palhaço (nessa ordem). Venho me dedicando nos últimos 13 anos quase que exclusivamente ao teatro feito para e com crianças (e adolescentes). Neste período fiz com meu grupo teatral oito espetáculos ditos profissionais (alguns premiados local e nacionalmente) e aproximadamente 80 montagens amadoras com crianças entre dois anos e adolescentes.

Essas montagens escolares, contratadas mediante encomenda, me possibilitaram identificar um talento ainda oculto para mim: o de ser educador. Atualmente, nosso grupo possui duas sedes nas quais dedica grande parte de seu tempo a promover cursos de teatro para crianças a partir de 4 anos e adolescentes.

Algumas de nossas turmas de teatro funcionam no espaço de escolas (particulares) parceiras há mais de uma década. A proximidade com o ambiente escolar e o contato com pais e mães me fez perceber que independentemente do status e do sucesso profissional de alguns pais a desinformação artística e/ou cultural é no mínimo preocupante.

Penso sobre o quanto é comum autoridades de diferentes áreas do conhecimento que mal conseguem compreender canções cuja letra exija algum esforço metafórico, ou que assistem espetáculos de teatro descartáveis acreditando que tiveram uma experiência artística relevante, ou não conseguem alcançar a proposição de sentimentos nobres de algumas películas ficando somente com os enredos elementares de filmes de lutas coreografadas, ou ainda, não conseguem distinguir os delicados sabores de uma cozinha especializada, pois falta-lhes o instrumental necessário para poder escolher.

Eu e meu grupo entendemos que a experiência artística é fundamental para que possamos – adultos ou crianças – produzir e/ou fruir o belo, e assim, extrairmos o melhor dos gênios humanos. É com a arte que provamos que podemos ser melhores, sem, necessariamente, estarmos ligados a uma instituição religiosa.

O contato com as artes pode ampliar significativamente a noção de mundo, pois a lente pela qual o artista cria leva em consideração um sem número de condições, que faz com que o sujeito que se dedica à sua compreensão, execute um grande exercício.

A educação artística que deveria estar sistematicamente organizada vem tentando se emancipar, nas escolas, ultimamente. Uma importante fatia de educadores está convencida de que as artes são quase sempre o melhor instrumento de educação, porém, esbarra em gestores e profissionais de educação (mas também pais e mães) que não tiveram essa formação e quase sempre duvidam, ou pelo menos desconfiam da sua eficácia.

Eu e meu grupo de teatro pensamos que a alteração dessa realidade pode ser iniciada com a sensibilização de professores e de outros profissionais de educação, mas também dos pais que se interessem em educar artisticamente seus filhos.

Nosso objetivo como arte-educadores, longe de querer ampliar o número de pessoas que queiram tornar-se artistas de ofício, é o de ajudar a formar sujeitos capazes de optar por esta ou aquela forma artística, independentemente da sua origem, formato ou produção, somente porque ele consegue escolher.

* Marconi Araponga
É pai (convictamente babão) de Zizi, de 7 anos.
É ator por formação, professor por paixão e palhaço por condição.
Mestre pelo PPGAC/UFBA desde 2011 e diretor artístico do Grupo Teca Teatro.
Gosta de amendoim, mas odeia paçoca.
Pegou a mania de dormir tarde e acordar cedo.

www.tecateatro.com.br
www.facebook.com.br/tecateatro
[email protected]
9129-9237/ 3481-8555

7 Comentários até o momento

Sua opinião é importante para nós
  1. Márcia
    #1 Márcia 27 março, 2015, 22:15

    Marconi parabens pelo seu trabalho,dedicação e amor.Meu filho já participou de dois espetáculos pela escola com vocês .E tanto ele como eu ameiii..muito lindo,bjos de Samuca

    Reply this comment
  2. Katiuce Oliveira
    #2 Katiuce Oliveira 27 março, 2015, 23:22

    Nem me lembro como conheci o Teca Teatro

    Reply this comment
  3. Katiuce Oliveira
    #3 Katiuce Oliveira 27 março, 2015, 23:23

    Nem me lembro como conheci o Teca Teatro

    Reply this comment
  4. Graciéli Ornelas
    #4 Graciéli Ornelas 5 setembro, 2015, 21:57

    Oi lindão, achei você, nem sei se lembra de mim, estudamos juntos na Uneb! Maravilha saber do seu sucesso e vocação, beijo no seu coração!

    Reply this comment


Warning: Illegal string offset 'rules' in /home/pequenop/public_html/wp-content/themes/pequenopolis-theme/functions/filters.php on line 191
<

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.