Música: elo entre pais e filhos – Por Angelita Broock

angelitaperfilSempre que um bebê nasce, nasce também uma mãe e um pai. É uma fase de pura descoberta, de mudanças, de muita emoção e de dúvidas. Muitos pensavam que seria uma tarefa simples, como a gente vê no comercial de papinha na televisão. No entanto, acabam se deparando com situações que aparentam não ter solução. Depois de refletir, conversar com família e amigos, acabam tomando as decisões que acham coerentes para o seu rebento, pois, na verdade, sabem intuitivamente as necessidades do seu filho. E no meio da confusão emocional há um bebê lindo (o mais lindo de todos!), que reage a sons, que produz sons, que procura a luz, que faz careta, que sorri e que faz os corações explodirem de tanto amor. E a música? Ah sim! A música está ali para tornar este ambiente mais leve, mais prazeroso e mais feliz.

A música é uma das múltiplas formas de comunicação entre a mãe e o bebê e, muitas vezes, é usada antes mesmo do nascimento. O aparelho auditivo do bebê já está completamente formado desde o sexto mês de gravidez, quando o feto já escuta relativamente bem e responde a estímulos sonoros, ainda no útero. Os primeiros contatos físicos e emotivos, bem como os estímulos auditivos, são muito importantes para o desenvolvimento do bebê.

Pesquisas na área da aquisição da linguagem mostram que as mães exercem um tipo de fala específica quando se dirigem aos seus bebês. A mãe, imperceptivelmente, muda o registro de sua voz, que normalmente apresenta uma altura elevada, lenta e com pronúncia exagerada, conhecida como “fala do bebê”. Isso traz certo conforto para o bebê, de forma que ele sabe quando estão se dirigindo a ele. Assim como a fala, o canto direcionado ao bebê também possui suas particularidades, como o uso do registro vocal agudo, diminuição do andamento e expressividade acentuada, que pode ser chamado de canto direcionado ao bebê (infant-directed singing). O bebê pode, muitas vezes,  não entender as palavras que estão sendo ditas, mas sabe, instintivamente, que estão sendo dirigidas a ele. As canções das mães normalmente são atraentes e há uma expressividade facial acentuada, o que propicia uma maior fixação e atenção.

Normalmente as mamães e os papais são os primeiros cantores de seus filhos, e a música pode se fazer presente no dia-a-dia em pelo menos duas finalidades: relaxamento e entretenimento. Mas o que cantar? Que repertório devo escolher? Nossas crianças são ouvintes competentes e devemos proporcionar a elas um repertório amplo e variado. Não precisamos nos limitar às músicas consideradas infantis e aos DVDs da moda. Podemos colocar no “cardápio musical” as músicas que gostamos e que nos fazem felizes. Seja a cantiga da vovó, seja o rock que o papai escuta, seja a MPB que a mamãe cantarola… no fim das contas, neste caso, o que importa é que música pode se tornar um forte elemento na relação afetiva entre pais e filhos.

Angelita Broock é mamãe de Cauã. Curitibana. Reside em Salvador desde 2006, quando chegou para trabalhar música com os bebês soteropolitanos na UFBA. Mestre e doutora em Educação Musical pela UFBA e uma das criadoras do Grupo Canela Fina (juntamente com Kamile Levek). Com o “Canela” trabalha nos palcos e na sala de aula com as crianças.

canelafina.m@gmail.com
(71) 9144-9083
www.grupocanelafina.com.br
https://www.facebook.com/CanelaFinaMusicalizacaoInfantil
https://www.facebook.com/grupocanelafina

3 Comentários até o momento

Sua opinião é importante para nós
  1. Maria Cristina Mota
    #1 Maria Cristina Mota 3 abril, 2015, 12:23

    Quando estive grávida, há 24 anos, não conhecia nada sobre os efeitos da música para o bebê, mas estava mergulhada em ensaios, audições, espetáculos, eventos afins, foi assim na gravidez e em toda a sua infância. Vejo como resultado que minha filha é sensível à vida, antenada, com uma musicalidade que desperta atenção, uma das criaturas mais afinadas que conheço. Além disto, a música apurou o elo entre nós!

    Reply this comment

Seus dados estarão seguros!O seu endereço de email não será publicado. Seus dados também não serão compartilhados.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.