Volta às aulas: hora de preparar a merenda

by 15 de fevereiro de 2016 3 comentários

Aproveitem as excelentes dicas da nutricionista Taís Araújo (CRN5 – 2558) e mandem ver na lancheira dos filhotes!

Mega desafio para a turma de casa: acertar no lanchinho perfeito e cair nas graças da garotada. Parece desafiador, mas compreender alguns processos facilita na montagem dos itens e na aceitação do seu filho.

Na fase pré-escolar, entre dois e sete anos, o crescimento e ganho de peso se estabilizam, assim a criança faz suas escolhas a partir de sabores, cores, texturas e sobretudo pela influência dos hábitos alimentares da família e dos coleguinhas. Brincar nessa fase é fundamental e ajuda no processo de formação de hábitos.

Se houver resistência em consumir alimentos novos, é necessário apresentar o mesmo alimento em outras preparações (8 a 10 vezes), pois eles podem apresentar neofobia, absolutamente comum, o que não deve ser rotulado como “falta de apetite”. As crianças dessa faixa etária podem apresentar uma resistência em consumir alimentos novos. Quando há coerção a chance de a criança desenvolver recusa/aversão é maior. Estimule a curiosidade dela, peça sua ajuda nas preparações – afinal, quem não gosta de se lambuzar na cozinha?

Conforme orientação do Ministério da Saúde, evite oferecer refrigerantes e sucos industrializados, balas, bombons, biscoitos doces e recheados, salgadinhos e outras guloseimas no dia a dia. Não proíba, pois o alimento se tornará mais atraente, mas também não estimule de forma a naturalizar essas “calorias vazias” na rotina familiar/escolar.

A fase escolar, de crianças entre 7 e 10 anos, é caracterizada por um período de crescimento e demandas nutricionais elevadas. O apetite é voraz, com melhor aceitação dos alimentos, porém se já adotarem hábitos alimentares inadequados, há grande chance dessa inadequação se acentuar, pois nessa fase a criança já seleciona o que comer. Com a formação da dentição permanente, é muito importante reforçar bons hábitos de saúde, a fim de prevenir a ocorrência de cáries dentárias.

Composição da merendeira

A merendeira deverá ser composta por proteína magra, fruta (vitaminas e sais minerais), carboidrato complexo, água e oleaginosas. Verifique se na escola há estrutura para acondicionar os alimentos que precisam manter-se resfriados.

Sugestão de proteínas: Cottage, tofu, ricota e iogurtes. Os queijos podem estar dentro de pães integrais ou pão folha (wrap), você pode acrescentar algumas opções de recheio, como ovo, atum, tomate, cenoura e alface. Peça para conservarem na geladeira da escola ou armazene em embalagem térmica. Ofereça bala de algas, uma fonte de proteína vegetal, bem colorida e do bem.

Sugestão de frutas: higienizar as frutas antes de colocar na lancheira, prefira que sejam consumidas inteiras e com casca. Se fizer uma salada de frutas, pingar suco de laranja para não escurecer as frutas que oxidam (maçã, pêra, banana…). Oferecer gelatina sem sabor (sem corante) com fruta cortada ou acrescentando o suco da fruta; outra opção divertida e saborosa são os sorvetes caseiros da fruta (manga, abacate, banana com abacaxi etc). Prefira sucos naturais, mas cuidado com a concentração do suco, dilua. Você pode aromatizar a água com sucos, para os pequenos eu apresento como “refresco”. Ofereça água de coco geladinha.

Carboidratos complexos: eles são digeridos e absorvidos lentamente (ideal para a realização das atividades escolares), promovem a saciedade e evitam os picos de glicemia. Prefira biscoitos sem recheio, ricos em fibras; preste atenção ao rótulo, o primeiro item da lista de ingredientes deverá iniciar pela farinha integral (a ordem está diretamente relacionada à quantidade do ingrediente utilizado), caso contrário a quantidade de fibras será reduzida. Ofereça novidades como bolinhas de batata doce, beiju torradinho com pasta de amendoim ou mesmo crepioca.

Água geladinha: facilite o acesso à água para seu filho, assim vai estimular a hidratação. Uma opção divertida para manter a água geladinha na escola são os cubos de gelo ecológico, que não derretem e são coloridos. Em casa, você pode colar, com cola líquida de silicone, dois imãs de geladeira em um copo plástico e afixar na geladeira, assim será bem divertido tirar o copo para encher de água e colocá-lo no lugar.

Oleaginosas/gorduras do bem: escolha as versões sem sal, prefira aquelas que já vêm embaladas de fábrica, pois o risco de contaminação é menor. Você pode acrescentar nas preparações (bolo integral, pães), frutas, açaí e iogurtes (vale picar quando necessário). Quando fizer sanduíches, acrescente um filete de óleo de coco ou azeite extra virgem.

Lembre-se de incluir os alimentos preferidos do seu filho, para facilitar a aceitação de novos alimentos ou preparações. Conte a ele para que servem os alimentos saudáveis, vale inventar uma bela história, diga que ele precisa crescer forte e saudável, assim como esclareça os efeitos dos doces e calorias vazias para o seu corpo (e dentes) em formação. O despertar do cuidado e amor próprio deve começar cedo e você é responsável por esta missão.

3 Comentários até o momento

Sua opinião é importante para nós
  1. Zeni Nogueira
    #1 Zeni Nogueira 16 fevereiro, 2016, 15:13

    Parabéns a nutri Taís pelas dicas excelentes!

    Reply this comment
  2. Nária
    #2 Nária 12 março, 2016, 10:00

    Bom dia, adorei as dicas

    Reply this comment

Seus dados estarão seguros!O seu endereço de email não será publicado. Seus dados também não serão compartilhados.